PARÓQUIA SÃO SEBASTIÃO E SÃO JOÃO BATISTA DE INGAÍ ++++ DIOCESE DE SÃO JOÃO DEL REI - MG ++++ PASTORAL DA COMUNICAÇÃO

NOSSAS CAPELAS

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

HOJE 27 DE NOVEMBRO É DIA DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS E DA MEDALHA MILAGROSA

Ela é conhecida também como Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, sua invocação está ligada a duas aparições para a Santa Catarina Labouré. A primeira acontece no dia 19 de julho, na festa de São Vicente de Paulo, quando a madre superiora de Catarina pregou sobre as virtudes deste santo.
Catarina orou fortemente ao santo para que ela pudesse ver Maria com seus próprios olhos e teve a certeza de que naquela mesma noite, suas preces seriam atendidas. Ela foi dormir e acordou no meio da noite com uma forte luz e uma voz que dizia:
“Irmã Labouré, vem à capela, Santa Maria te aguarda!”
Catarina respondeu: “Seremos descobertas!”.
A voz disse: “Não te preocupes, já é tarde, todos dormem…vem estou a tua espera.”
Catarina se dirigiu rapidamente à capela que estava aberta e toda iluminada, ela ajoelhou-se junto ao altar e logo viu a Virgem sentada na cadeira da madre superiora, rodeada por um esplendor de luz. A voz disse:
“A Santíssima Maria deseja falar-te”.
Catarina se ajoelhou aos pés da Virgem e Maria lhe disse:
“Deus deseja te encarregar de uma missão. Tu encontrarás oposição, mas não temas, terás a graça de poder fazer todo o necessário. Conta tudo a teu confessor. Os tempos estão difíceis para a França e para o mundo. Vai ao pé do altar, graças serão derramadas sobre todos, grandes e pequenos, e especialmente sobre os que as buscarem. Terás a proteção de Deus e de São Vicente, e meus olhos estarão sempre sobre ti. Haverá muitas perseguições, a cruz será tratada com desprezo, será derrubada e o sangue correrá”.
Depois de mais algumas palavras, a Virgem desaparec


eu e Catarina foi guiada pelo anjo para seu quarto.
Catarina continuou sua rotina e no dia 27 de novembro de 1830, ela estava na capela com as outras irmãs para as orações vespertinas, então viu a Virgem sobre um grande globo, com um globo menor nas mãos onde estava escrito a palavra “França”, ela explicou que o globo simbolizava o mundo todo, mas principalmente a França e o tempo seria difícil para os pobres e para os refugiados das guerras na época.
A visão mudou e Maria apareceu com os braços estendidos e dedos ornatos com anéis que irradiavam luz e com uma frase que dizia: “Oh, Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.”
E a Virgem disse: “Faz cunhar uma medalha onde apareça minha imagem como a vês agora. Todos os que a usarem receberão grandes graças”.
Catarina perguntou por que alguns anéis não irradiavam luz e soube que representavam as graças que não eram atendidas.
Maria mostrou como deveria ser o desenho a ser impresso na medalha, e a Virgem disse que ela procurasse a ajuda de seu confessor, Padre Jean Maria Aladel.
Catarina contou tudo ao padre, no começo ele na acreditou, mas depois de dois anos observando a índole de Catarina, dirigiu-se ao arcebispo, que mandou fazer a cunhagem de 2000 medalhas em 20 de junho de 1832.
Desde então, a devoção à medalha não parou de crescer.
Catarina só divulgou as aparições, pouco depois da sua morte com a autorização de Maria.

VAMOS REZAR ... COM NOSSO PÁROCO PADRE CARLINHOS, SCJ


terça-feira, 25 de novembro de 2014

25 DE NOVEMBRO, DIA DE SANTA CATARINA DE ALEXANDRIA, PADROEIRA DA CAPELA DE PAULO FREITAS

Hoje é o dia que a Igreja celebra a memória da Santa Padroeira da Capela mais antiga da nossa Paróquia, a capela de Santa Catarina de Alexandria, da Comunidade de Paulo Freitas.Não haverá festividades nem celebração de missa naquela comunidade hoje, pois as Comemorações em homenagem a Santa Catarina já foram feitas com grande festa no mês de Agosto.
Nos tempos da Ferrovia Paulo Freitas era uma importante vila do nosso município, pois é a Estação Férrea de Ingaí. 
Assim sendo, a capela é muito antiga e foi construída pelos ferroviários, como na maioria das estações de trem da nossa região.

Em Paulo Freitas, desde que o Monsenhor Waldyr chegou à Paróquia de Luminárias, há quase 60 anos começaram a ser celebradas as missas uma vez por mês na Capela de Santa Catarina de Alexandria.
  
Neste dia lembramos a vida desta santa que é inspiradora e protetora de um Estado brasileiro: Santa Catarina. Nascida em Alexandria, recebeu uma ótima formação cristã. É uma das mais célebres mártires dos primeiros séculos, um dos Santos Auxiliadores. O pai, diz a lenda, era Costes, rei de Alexandria. Ela própria era, aos 17 anos, a mais bonita e a mais sábia das jovens de todo o império; esta sabedoria levou-a a ser muitas vezes invocada pelos estudantes. Anunciou que desejava
PRIMITIVA IMAGEM DA IGREJA DE PAULO FREITAS - FOTO: SILVANO ARAUJO
casar-se, contanto que fosse com um príncipe tão belo e tão sábio como ela. Esta segunda condição embargou que se apresentasse qualquer pretendente.
“Será a Virgem Maria que te procurará o noivo sonhado”, disse-lhe o ermitão Ananias, que tinha revelações. Maria aparece, de fato, a Catarina na noite seguinte, trazendo o Menino Jesus pela mão. “Gostas tu d’Ele?”, perguntou Maria. -“Oh, sim”. -“E tu, Jesus, gostas dela?” -“Não gosto, é muito feia”. Catarina foi logo ter com Ananias: “Ele acha que sou feia”, disse chorando. -“Não é o teu corpo, é a tua alma orgulhosa que Lhe desagrada”, respondeu o eremita. Este instruiu-a sobre as verdades da fé, batizou-a e tornou-a humilde; depois disto, tendo-a Jesus encontrado bela, a Virgem Santíssima meteu aos dois o anel no dedo; foi isto que se ficou chamando desde então o “casamento místico de Santa Catarina”.

Ansiosa de ir ter com o seu Esposo celestial, Catarina ficou pensando unicamente no martírio. Conta-se que ela apresentou-se em nome de Deus, diante do perseguidor, imperador Maxêncio, a fim de repreendê-lo por perseguir aos cristãos e demonstrar a irracionalidade e inutilidade da religião pagã. Santa Catarina, conduzida pelo Espírito Santo e com sabedoria, conseguiu demonstrar a beleza do seguimento de Jesus na sua Igreja. Incapaz de lhe responder, Maxêncio reuniu para a confundir os 50 melhores filósofos da província que, além de se contradizerem, curvaram-se para a Verdade e converteram-se ao Cristianismo, isto tudo para a infelicidade do terrível imperador.

Maxêncio mandou os filósofos serem queimados vivos, assim como à sua mulher Augusta, ao ajudante de campo Porfírio e a duzendos oficiais que, depois de ouvirem Catarina, tinham-se proclamado cristãos. Após a morte destes, Santa Catarina foi provada na dor e aprovada por Deus no martírio, tendo sido sacrificada numa máquina com quatro rodas, armadas de pontas e de serras. Isto aconteceu por volta do ano 305. O seu culto parece ter irradiado do Monte Sinai; a festa foi incluída no calendário pelo Papa João XXII (1316-1334).

Santa Catarina de Alexandria, rogai por nós!

Dia 25 de novembro, dia de Santa Catarina.
ORAÇÃO A SANTA CATARINA DE ALEXANDRIA


 Ó Santa Catarina, que sois a protetora contra os acidentes de trabalho e modelo de intercessora dos estudantes.

Encontraste o alimento da fé e a coragem de caminhar na fidelidade a Cristo. Rogai a Deus por nós para que dóceis ao Espírito Santo

manifestemos em nossa vida a verdade da fé e livrai-nos de todos os perigos.
Com vosso auxílio sejamos discípulos missionários de Cristo Jesus.
Amém!
Santa Catarina rogai por nós!

CAPELA DE SANTA CATARINA DE ALEXANDRIA
 COMUNIDADE DA ESTAÇÃO DE PAULO FREITAS


É a capela mais antiga e uma das maiores da Paróquia. Construída na Estação Férrea de Paulo Freitas, às margens do rio Capivari, na Fronteira com a Paróquia de Santo Antônio de Itutinga, é uma capela antiga mas bem conservada.
Também famosa pelas festas de cavalgada  que anualmente são  celebradas naquela comunidade, serviu por muitos anos como escola para as crianças de toda extensa região rural nas proximidades de Paulo Freitas .










VAMOS REZAR ... COM NOSSO PÁROCO PADRE CARLINHOS SCJ


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

ENCONTRO DE CASAIS NA PARÓQUIA DE INGAÍ, CAPELA DE SANTO ANTÔNIO E SÃO GERALDO, COMUNIDADE DA SOCA


Aconteceu no último domingo, 23 de novembro, domingo em que a Igreja celebra a Festa de Cristo Rei do Universo, o Encontro de Casais organizado pela Pastoral da Família.

O Encontro foi realizado na Capela de Santo Antônio e São Geraldo na Comunidade Rural da Soca. 


Participaram do Evento, além dos membros da Pastoral da Família da nossa Paróquia e de Paróquias das cidades vizinhas, 35 casais de Ingaí e de Lavras. Também nosso Pároco Padre Carlinhos esteve presente no evento e em sua rede social declarou que o Encontro foi muito abençoado. Na ocasião ele também agradeceu a todos os organizadores e participantes. Há de se destacar o empenho Pastoral  de mais esta demonstração da União Familiar promovida pela Igreja Católica.

Nas fotos e também no evento era nítida a alegria e a felicidade destes casais pela vivência do Sacramento do Matrimonio(daqueles que já se casaram) em suas vidas. Famílias que assim como a Sagrada Família de Nazaré, ensinam à comunidade o Caminho para a Felicidade e para o Serviço a Deus, que se concretiza no Amor Doação .



BOM DIA, VAMOS REZAR ... COM NOSSO PÁROCO PADRE CARLINHOS


domingo, 23 de novembro de 2014

EVANGELHO DO DOMINGO - JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO

Anúncio do Evangelho (Mt 25,31-46)
O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 31“Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso.
32Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda.
34Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! 35Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; 36eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar’.
37Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? 38Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? 39Quando foi que te vimos doente ou preso e fomos te visitar?’
40Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!’
41Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. 42Pois eu estava com fome e não me destes de comer; eu estava com sede e não me destes de beber; 43eu era estrangeiro e não me recebestes em casa; eu estava nu e não me vestistes; eu estava doente e na prisão e não me fostes visitar’.
44E responderão também eles: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou nu, doente ou preso, e não te servimos?’
45Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo: todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes!’
46Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna”.


— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.
Solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo
Escrito por Diocese   
Sex, 21 de Novembro de 2014 09:46
Dom_C_lio_2Evangelho Mt 25, 31-46
“Vinde, benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu pai vos preparou deste a criação do mundo!”
(Mt 25, 34)
A Igreja nos propõe celebrar o último domingo do Tempo Comum com a Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo. A Palavra de Deus aponta a figura de Cristo como Pastor e Rei. O universo, do qual Jesus é Rei e Pastor, é constituído pela totalidade da humanidade. São muitas as indicações da Sagrada Escritura em que se revela Jesus como o princípio e o fim de toda a história. São para o Senhor, o Filho de Deus, que se convergem as aspirações da história, porque Ele propôs a instauração do Reino de Deus entre os homens. O reinado de Deus é diferente, porque os valores propostos são diferentes! Ao anunciar a chegada do Reino de Deus, Jesus orientava que o mesmo deveria ser construído na justiça, na verdade, na fraternidade, na vivência do amor entre todos. E deixou a seus seguidores a missão da construção deste Reino.
Assim estamos a caminho da construção do Reino de Deus. Em nossa vocação de batizados nos comprometemos a fazer com que o Reino não esteja limitado a espaço, tempo  ou história, mas que onde houver o empenho de todos, cristãos ou não cristãos, para a existência destes valores, ali está acontecendo o Reino de Deus. A Igreja é responsável em animar e fazer acontecer esta realidade no mundo em que estamos. Por isso é que para o Reino de Deus são chamados todos que lutam por um mundo diferente.
A Igreja também nos ensina que o Senhor Jesus voltará gloriosamente no final dos tempos, para o juízo final. Diante do Pai, Jesus salvará, para a vida eterna, os que deram testemunho d’Ele, os obedientes a Ele, os que viveram como verdadeiros discípulos numa caridade sempre pronta ao perdão e à misericórdia, e perseverantes até o fim. Assim entendemos também o alcance do Sermão da Montanha proferido por Jesus. Seremos  bem-aventurados, santificados,  na medida em que soubermos trabalhar as realidades humanas e históricas que nos rodeiam e que marcam nossa vida.
D. Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano.

sábado, 15 de novembro de 2014

EVANGELHO DO DOMINGO - XXXIII Domingo do Tempo Comum

Anúncio do Evangelho (Mt 25,14-30)

O Senhor esteja convosco.
Ele está no meio de nós.
PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus contou esta parábola a seus discípulos: 14“Um homem ia viajar para o estrangeiro. Chamou seus empregados e lhes entregou seus bens. 15A um deu cinco talentos, a outro deu dois e ao terceiro, um; a cada qual de acordo com a sua capacidade. Em seguida viajou.
16O empregado que havia recebido cinco talentos saiu logo, trabalhou com eles e lucrou outros cinco.
17Do mesmo modo, o que havia recebido dois lucrou outros dois.
18Mas aquele que havia recebido um só saiu, cavou um buraco na terra e escondeu o dinheiro do seu patrão.
19Depois de muito tempo, o patrão voltou e foi acertar contas com os empregados.
20O empregado que havia recebido cinco talentos entregou-lhe mais cinco, dizendo: ‘Senhor, tu me entregaste cinco talentos. Aqui estão mais cinco, que lucrei’. 21O patrão lhe disse: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!’
22Chegou também o que havia recebido dois talentos, e disse: ‘Senhor, tu me entregaste dois talentos. Aqui estão mais dois que lucrei’. 23O patrão lhe disse: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!’.
24Por fim, chegou aquele que havia recebido um talento, e disse: ‘Senhor, sei que és um homem severo, pois colhes onde não plantaste e ceifas onde não semeaste. 25Por isso, fiquei com medo e escondi o teu talento no chão. Aqui tens o que te pertence’.
26O patrão lhe respondeu: ‘Servo mau e preguiçoso! Tu sabias que eu colho onde não plantei e ceifo onde não semeei? 27Então, devias ter depositado meu dinheiro no banco, para que, ao voltar, eu recebesse com juros o que me pertence’.
28Em seguida, o patrão ordenou: ‘Tirai dele o talento e dai-o àquele que tem dez! 29Porque a todo aquele que tem será dado mais, e terá em abundância, mas daquele que não tem, até o que tem lhe será tirado. 30Quanto a este servo inútil, jogai-o lá fora, na escuridão. Aí haverá choro e ranger de dentes!’”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.
33º Domingo do Tempo Comum
Escrito por Diocese   
Sex, 14 de Novembro de 2014 13:55
Imagem_103Evangelho Mt 25, 14-30
“Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração  de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria”.
(Mt 25, 21)
 Ao chegar o final do ano litúrgico a Palavra de Deus nos ensina a estarmos sempre prontos em administrar os bens que recebemos da parte de Deus. Os talentos que o patrão entrega a seus empregados para serem trabalhados enquanto ele realiza a viagem, é como que responsabilidades conferidas por Deus a cada cristão que, pelo Batismo, se compromete em realizar na construção do Reino de Deus. Ele voltará um dia e pedirá contas a cada um de nós pelo que tenhamos feito. Esta passagem do evangelho tem assim a dimensão escatológica: o Senhor voltará no final dos tempos e irá exigir de cada cristão que teve a graça de lhe conhecer e ser chamado à vida cristã pelo batismo, a prestar contar de como fez frutificar as graças recebidas.
Deus nos confiou muitos talentos. Ele quer nossa adesão para realizar alguma obra em favor dos irmãos ou da construção do Reino de Deus. Ele usa assim a nossa mediação. Não podemos ter medo em arriscar, porque seria isto também uma manifestação da falta de fé. Deus sempre nos acompanha na medida em que fizermos o bem. Esconder os talentos é duvidar da presença de Deus, como também não usar dos meios que Ele nos deixou para nossa santificação e nosso crescimento na fé.
Deus exige nosso trabalho. Não podemos esconder os talentos e graças recebidas por sua generosidade. É necessário que corramos os riscos para que o Evangelho seja anunciado e o Reino de Deus seja construído. Na Igreja não podemos nos acomodar, cruzar os braços ou enterrar os talentos. O Senhor é justo e irá nos recompensar. Na realidade em que vivemos há muito conformismo ou acomodação, mesmo vendo as necessidades e exigências para que tenhamos um mundo melhor, muitas vezes nós nos omitimos. Este não é o comportamento do verdadeiro cristão.

D. Célio de Oliveira Goulart – Bispo Diocesano

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

ARTIGO - Igreja e o protagonismo juvenil

Igreja e o protagonismo juvenil
Escrito por Diocese  de São João Del Rei
Qui, 06 de Novembro de 2014 09:56
15ago2014---papa-francisco-posa-para-um-selfie-durante-a-6-jornada-da-juventude-asiatica-no-santuario-sul-coreano-de-solmoe-em-dangjin-segundo-a-agencia-de-noticias-efe-cerca-de-6000-jovens-1408119876108_7
“Jesus se aproximou e caminhava com eles” (Lc 24, 15).
Os discípulos de Emaús fizeram a sua caminhada. Jesus não caminhou por eles, mas com eles. Assim sendo, em relação aos jovens é necessário afirmar que eles são os verdadeiros protagonistas na evangelização juvenil. Desempenham e ocupam o lugar principal no Setor Diocesano da Juventude. O formato do setor deve ser dado pelos jovens, num processo que considere a experiência evangelizadora deles e as necessidades próprias da realidade da nossa Diocese.
Cada jovem deve se reconhecer a si mesmo como evangelizador(a) de outros companheiros, com os quais compartilha o mesmo processo de amadurecimento integral, que o prepara gradualmente para o futuro papel de serviço na própria paróquia, em sua família e na sociedade.
Os jovens precisam ser protagonistas de si mesmos, crendo em suas capacidades de crescimento e transformação. Eles querem ser considerados e interpelados. É preciso arriscar, confiando-lhes responsabilidades, segundo a sua situação e as suas capacidades. Não há maturidade sem responsabilidade, nem confiança se não percebem confiança. Os jovens não são objetos, mas sujeitos no e do seu processo de vida. Da parte dos adultos, fazem-se necessários o respeito, a acolhida e a aceitação do jovem como ele é, também em suas manifestações e participações.
“...há uma série de novas formas de participação juvenil, entre as quais podemos destacar: a) a pertença a grupos pastorais (pastorais, movimentos eclesiais, novas comunidades, redes, ONGs e outras organizações juvenis) que atuam para transformar o espaço local, nos bairros, nas favelas e periferias; b) a participação em grupos que trabalham nos espaços de cultura e lazer: grafiteiros, conjuntos musicais, de dança e de teatro de diferentes estilos, associações esportivas; c) mobilizações em torno de uma causa e/ou campanha: grupos ecológicos, Comitês da Campanha Contra a Fome, ações contra a violência e pela paz, grupos por uma outra globalização etc.; d) grupos reunidos em torno de identidades específicas: mulheres, negros, indígenas, pessoas com deficiência.”(Doc. 85 da CNBB, nº 38).
Queremos dizer a eles e elas: “Ninguém te menospreze por seres jovem” (1Tm 4, 12). Assim como disse São Paulo a Timóteo, que mesmo tímido e de tenra idade coordenava uma comunidade. Fiquem firmes nas adversidades! A recompensa virá nos frutos produzidos, posteriormente, como resultado do seu amor a Deus e do trabalho e engajamento numa comunidade de fé.
Façamos da Igreja uma casa e uma família para e com os jovens!

10751769_4762691800922_1274540553_n
Padre Roberto Modesto Carneiro
Assessor do Setor Diocesano de Juventude

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

MISSA ESPECIAL MARCA FESTA DE SÃO JUDAS TADEU NA PARÓQUIA DE INGAÍ

 
São Judas Tadeu, o Grande Apóstolo de Jesus foi celebrado com muita devoção e alegria na noite de ontem em nossa Igreja Matriz de Ingaí. Uma missa especial, presidida pelo Monsenhor Waldyr, nosso estimado sacedote amigo; pároco emérito de Luminárias e que durante este mês está atendendo pastoralmente nossa pároquia. A missa contou também com a participação de membros da Comunidade de São Judas Tadeu da região da Antiga Fazenda da Barra. A igreja estava repleta de fiéis que com grande admiração pelo Santo das causas consideradas desesperadas e urgentes vieram agradecer Graças alcansadas ou pedir outras bençãos. COnfira as fotos registradas pela fotografa Brazilissa Maria, grande colaboradora da nossa PASCOM em Ingaí.